Friday, May 29, 2020
Isenção e Verdade


Procon-SP notifica empresas por golpes via WhatsApp

Aumento em número de casos motivou atuação do órgão O Procon de São Paulo notificou ontem (19) as empresas WhatsApp Inc.,…

Por redacao gazeta , em Geral , no dia20 de fevereiro de 2020, 16:25h

Clique Aqui


Aumento em número de casos motivou atuação do órgão

O Procon de São Paulo notificou ontem (19) as empresas WhatsApp Inc., OLX Atividades de Internet Ltda., Zap S/A Internet e MercadoLivre Atividades de Internet Ltda. para que informem que providências têm adotado para garantir a segurança dos consumidores e usuários. A notificação foi motivada, de acordo com o órgão, pelos registros de golpes aplicados a partir de anúncios de venda de produtos e serviços na internet.

Foi solicitado também que as empresas informem como o consumidor tem sido alertado sobre o golpe e se existe uma campanha de esclarecimento sobre os serviços ofertados.

As empresas têm 72 horas para responderem ao Procon-SP. A Agência Brasil entrou em contato com as empresas citadas e aguarda um posicionamento sobre a notificação.

A OLX informou que até o momento não foi notificada pelo Procon-SP. A empresa reforça que não solicita código de verificação ou senhas fora do site para nenhum usuário e recomenda sempre que as negociações aconteçam via chat, na plataforma. A empresa destaca também que investe continuamente em tecnologia e na comunicação de melhores práticas de compra e venda, com alertas durante a jornada do consumidor na plataforma e informações em seus canais oficiais e redes sociais.

O Grupo ZAP informa que também não recebeu a notificação do Procon. Em nota, a empresa afirma que vem monitorando os casos e “está atuando de forma ágil para combater esta prática ilegal”. “Estamos sempre muito perto de nossos clientes e mantemos farta comunicação por todos os nossos canais de atendimento a fim de esclarecer os fatos e fornecer as ferramentas necessárias para que não se tornem vítimas”, destaca a nota.

Sobre o golpe

De acordo com o Procon-SP, os golpistas monitoram sites de venda e entram em contato com um vendedor, que possa vir a ser alvo em potencial, enviando mensagem por SMS. Os golpistas afirmam que a mensagem enviada via SMS trata-se de um código que deverá ser digitado pelo WhatsApp para que o vendedor “regularize” seu anúncio na internet. Na verdade, o código é um PIN de autenticação do Whatsapp que, de posse do golpista, possibilita que a conta do aplicativo seja clonada.

O objetivo dos golpistas é roubar a conta do WhatsApp para usá-la em outro aparelho. Com o domínio da conta, eles passam a se comunicar com os contatos cadastrados na agenda do telefone.

*Com informações do Procon-SP

* Matéria atualizada às 16h11 para incluir posicionamento de empresa citada

Edição: Narjara Carvalho

Por Agência Brasil*

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
%d blogueiros gostam disto: