Tuesday, June 2, 2020
Isenção e Verdade


Estado e Aneel discutem ambiente menos burocrático para PCHs e CGHs

Com um dos maiores potenciais hídricos do Brasil para a geração de energia limpa, o Paraná pode diminuir a burocracia…

Por redacao gazeta , em Estadual , no dia20 de fevereiro de 2020, 17:44h

Clique Aqui


Com um dos maiores potenciais hídricos do Brasil para a geração de energia limpa, o Paraná pode diminuir a burocracia para a instalação de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) e de Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGHs). O assunto foi tratado nesta quinta-feira (20), em reunião do governador Carlos Massa Ratinho Junior com o diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Efrain Cruz, e com o presidente da Copel, Daniel Pimentel Slaviero.

Segundo dados da Copel, há 98 empreendimentos em operação no Estado que somam 397 Megawatts (MW) de potência instalada, 6,5% do total do País. O potencial de novos negócios, porém, pode ser maior. Os pedidos de outorga na Aneel para construção de novas PCHs e CGHs no Paraná totalizam R$ 20 bilhões em investimentos. São 128 usinas em construção, ainda não iniciadas ou na fase de estudos, com 1.838 MW de potência no total.

A outorga de novos empreendimentos é concedida pela agência. Ao Estado, cabe o licenciamento ambiental dos empreendimentos, feito pelo Instituto Água e Terra (IAT), órgão da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo. “Estamos propondo a criação de um ambiente favorável para o desenvolvimento desses segmentos no Paraná, que tem um grande potencial de geração de energia”, explicou Cruz.

O diretor da Aneel afirmou que o Paraná pode tomar à frente no País na geração de energia limpa nesses segmentos. “Junto com o Governo do Estado, queremos criar um ambiente menos burocrático, mais propositivo e indutor do desenvolvimento. A Aneel enxerga o Paraná como o modelo de geração de energia em um ambiente desburocratizado para a instalação de PCHs e CGHs”, disse.

“A agência está capitaneando uma agenda reformista, de modernização do setor elétrico”, afirmou Slaviero. “A geração de energia por meio de PCH e CGHs é uma vocação do Brasil e do Paraná, em especial. Temos que dar as condições jurídicas e regulatórias para que o setor produtivo possa fazer os investimentos que trazem desenvolvimento para o Estado”, disse o presidente da Copel.

A maior parte dos empreendimentos no Paraná é de iniciativa do setor privado. A Copel também conta com investimentos nesses segmentos. São 11 PCHs e CGHs próprias, que somam 66,74 MW de potência, e a participação em um empreendimento, cuja parte da empresa é de 10,4 MW. Também está em construção a PCH Bela Vista, com 29 MW de potência instalada, localizada no Rio Chopin, em Verê e São João, no Sudoeste do Estado.

Fonte: Agência Estadual de Notícias

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
%d blogueiros gostam disto: