Friday, February 21, 2020
Isenção e Verdade


Obra de ampliação da pista do aeroporto de Foz deve ficar pronta em um ano e meio

Infraero contrata empresa para executar ampliação da pista do aeroporto de Foz. Prazo das obras é de 515 dias a…

Por redacao gazeta , em Regional , no dia3 de fevereiro de 2020, 13:49h

Clique Aqui


Infraero contrata empresa para executar ampliação da pista do aeroporto de Foz. Prazo das obras é de 515 dias a partir da assinatura da ordem de serviço, que deve ocorrer neste mês.
O  Diário  Oficial da União desta segunda-feira (3) traz a publicação do “extrato de contrato” para a elaboração do projeto executivo e das obras e  serviços  referentes  à  ampliação  da  pista  de  pouso  e decolagem do Aeroporto  Internacional das Cataratas, em Foz do Iguaçu. O prazo das obras é  de 515 dias a partir da assinatura da ordem de serviço, que deve ocorrer neste mês.
O  valor do contrato é de R$ 53,9 milhões, dos quais a Itaipu entrará com  80%  dos recursos (R$ 43,1 milhões), conforme o protocolo de intenções assinado  entre  a  binacional e a Infraero. Itaipu também investiu R$ 15,5 milhões  na  duplicação  da  ligação  entre  o  aeroporto  e  a BR-469 e na
ampliação do pátio de manobras de aeronaves.
A  empresa responsável pela execução das obras é a Dalba Engenharia e Empreendimentos  Ltda.,  de  Guarapuava  (com  unidades também em Francisco Beltrão,  Cascavel,  Santa  Lúcia,  Urupema/SC, Inácio Martins e Ciudad del Este – Paraguai).
Com  a modernização, Foz passará a receber aeronaves de grande porte. Essa é considerada a obra mais importante para transformar o local num hub, nos  moldes  de outros destinos turísticos bastante disputados, como Miami, nos Estados Unidos, e países da Europa.

     Sustentabilidade
De  acordo  com  o  protocolo  de  intenções assinado pela Infraero e Itaipu,  o  Aeroporto  Internacional de Foz do Iguaçu deverá ser o primeiro sustentável  do País. Para atender a requisitos de sustentabilidade, haverá
geração  de  energia  por  painéis  fotovoltaicos,  será  feita a gestão de resíduos  sólidos  e  a  água  da chuva será captada. Entre outras ações, o terminal contará também com um eletroposto.

Quando  o  protocolo  foi  assinado, em junho do ano passado, a então presidente da Infraero, Martha Seillier, destacou que o aeroporto de Foz do Iguaçu   “será  piloto  para  outros  aeroportos  do  Brasil”.  A  Infraero administra, atualmente, 53 aeroportos.
Na  mesma  solenidade,  o  secretário  nacional  de  Aviação Civil do Ministério  de  Infraestrutura,  Ronei  Saggioro  Glanzmann,  disse  que “a parceria  entre Itaipu e Infraero vai render, com certeza, benefícios muito
grandes para toda a cidade de Foz do Iguaçu”.
O  diretor  de  Coordenação de Itaipu, general Luiz Felipe Carbonell, lembrou  que  a  experiência  da  empresa em ações de sustentabilidade será utilizada “para contribuir no projeto sustentável do aeroporto”.

     Duplicação
A  duplicação  dos  800  metros  da via que liga o aeroporto à BR-469 deverá  ser concluída até meados deste ano. Além do alargamento das pistas, serão  criadas  alças  de  retornos  e  acostamentos.  Haverá,  ainda,  uma ciclovia, passarelas de pedestres e abrigos de ônibus.
As  obras  de  ampliação  do  aeroporto  incluem melhorias na área de check-in,  ampliação  das  salas  de embarque e desembarque, implantação de escadas  rolantes,  carrosséis de bagagem, novos elevadores e quatro pontes de  embarque (fingers). Tudo isso vai aumentar a capacidade do aeroporto de
2,6 milhões para 5 milhões de passageiros ao ano.
Mas  é  a nova pista de pouso e decolagem, que deverá estar pronta em meados  de  2021,  que  dará  ao aeroporto um novo status, já que permitirá receber aviões de grande porte, com ligações diretas entre Foz e a Europa e Estados Unidos.


Foz numa nova era
Também  em  2022  deverá  estar  pronta  a  Ponte da Integração, obra financiada  totalmente  pela  Itaipu,  ligando  Foz  a Presidente Franco. A cidade viverá uma nova era.
Os  caminhões  pesados,  que  hoje trafegam pelo corredor turístico e vias centrais, passarão a utilizar a Perimetral Leste, ligação entre a nova ponte  e a BR-277. Será necessário construir um novo Porto Seco, mas o tema já está bastante adiantado.
Para o diretor-geral brasileiro da Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, a ampliação de pista de pouso e decolagem do aeroporto de Foz, que tem vocação natural para o turismo, vai permitir que a cidade atraia voos
internacionais e muito mais visitantes. “Foz merece estar no topo e estamos trabalhando para que isso aconteça”.

%d blogueiros gostam disto: