Tuesday, March 31, 2020
Isenção e Verdade


Sorgo gigante é atração no Show Rural Coopavel

Variedade forrageira é preciosa como alternativa de pastejo, produção de silagem, restruturação de solo e geração de palhada para o…

Por redacao gazeta , em AgroGazeta , no dia2 de fevereiro de 2020, 09:44h

Clique Aqui


Variedade forrageira é preciosa como alternativa de pastejo, produção de silagem, restruturação de solo e geração de palhada para o plantio direto.

Uma dos lançamentos mais impactantes do agronegócio brasileiro dos últimos anos terá lugar de destaque na 32ª edição do Show Rural Coopavel. O sorgo Agri 002E, mais conhecido como o sorgo gigante boliviano, será a principal atração do estante da AgricomSeeds, empresa estreante na feira, que acontece em Cascavel, PR, de 03 a 07 de fevereiro. A planta forrageira é conhecida dessa forma em função de seu porte (atinge alturas superiores a cinco metros) e pelo fato de suas sementes serem multiplicadas em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia.

No Brasil e no Paraguai, a distribuição deste sorgo está a cargo da Latina Sementes, subsidiária da AgricomSeeds. Seu diretor, Willian Sawa, está muito otimista com a participação no Show Rural, sobretudo pela repercussão em feiras regionais que antecederam o evento de Cascavel. “Este material está sendo adquirido por pecuaristas e agricultores em todo o Brasil. Ele atende a demanda da pecuária, sobretudo em pastejo ou como matéria-prima para produção de silagem. Em função de seu grande poder de enraizamento, é precioso também na agricultura para a restruturação de solo deixando uma palhada muito eficiente para o plantio direto”, garante.

O sorgo Agri 002E começou a ser distribuído no Brasil ao final de 2017. As projeções são de que a extensão de plantio chegue a 120 mil hectares (ha) no ciclo 2020/2021 e pule para 250 mil ha na safra 2021/2022. A versatilidade é o ponto alto do material. Diante da recente alta no preço do milho, cuja saca de 60 kg vem superando a casa de R$ 40 em várias regiões brasileiras (incluindo o Paraná), o sorgo tornou-se a melhor opção na atual safra para a produção de silagem barata (para alimentação de animais no cocho). Há relatos de cultivos do sorgo gigante no Brasil cuja silagem obtida saiu a um custo entre R$ 0,04 e R$ 0,06 o kg (entre R$ 40 e R$ 60 a tonelada). “Em Goiás, o preço de referência para a tonelada pronta de silagem – incluindo plantio, pulverização, colheita, trator e lona – varia de R$ 28 a R$ 42”, garante Sawa.

Com um manejo adequado e cuidados agronômicos, o desempenho do Agri 002E chega a impressionar. Em experimentos realizados no Paraná pela G12 Agro Consultoria, sob a coordenação do engenheiro agrônomo Igor Quirrenbach, o sorgo gigante conseguiu uma produção de 105 t/ha de massa verde quando plantado na safra de verão (ao longo de 134 dias) e de 50 t/ha na safra de inverno/safrinha (ciclo de 115 dias). “Na pecuária de corte, por exemplo, um hectare cultivado com o sorgo gigante pode alimentar até oito unidades animal (ua)/ha/ano na primeira safra e cinco ua/ha na safrinha”, garante. O ganho de peso diário (GMD), segundo ele, pode variar entre 0,5 a 1,5 kg, dependendo do nível de suplementação da dieta.

Mas a AgricomSeeds não vai expor somente as benesses do sorgo gigante no Show Rural Coopavel. Em seu estande de mais de 1.000 m2, localizado ao lado do Mirante, a empresa terá áreas demonstrativas com outras variedades de sorgo e de milho, as duas culturas foco de seu trabalho, fruto de melhoramento genético voltado para o agronegócio tropical. O visitante poderá conhecer, por exemplo, a tecnologia Leadgrain, que permite a produção de milho com espigas mais gordas, que apresentam um número de linhas de grãos até duas vezes acima da média de uma espiga comum. Fonte: Ariosto Mesquita – DRT/MG 3474

Jornalista e Mestre em Produção e Gestão Agroindustrial. Crédito foto: Ariosto Mesquita

 

 







%d blogueiros gostam disto: