Sunday, July 5, 2020
Isenção e Verdade


Margem brasileira de Itaipu Binacional triplica investimentos no Oeste do PR em 2019

Os investimentos passaram de R$ 103,7 milhões, em 2018, para R$ 252,4 milhões, no ano passado. Nova ponte Brasil-Paraguai já…

Por redacao gazeta , em Regional , no dia13 de janeiro de 2020, 14:10h

Os investimentos passaram de R$ 103,7 milhões, em 2018, para R$ 252,4 milhões, no ano passado. Nova ponte Brasil-Paraguai já recebeu R$ 66 milhões.

A margem brasileira da usina de Itaipu elevou em quase três vezes, em 2019, os investimentos no desenvolvimento social, econômico, turístico e cultural da região Oeste do Paraná. O salto foi de 143,3%. Em 2018, os recursos aplicados nessas áreas pela usina somaram R$ 103,7 milhões; em 2019, o valor passou para R$ 252,4 milhões, com impacto direto na qualidade de vida e na geração de emprego e renda para milhares de pessoas.

Do total investido no ano passado, o mais expressivo refere-se ao início das obras da Ponte da Integração Brasil-Paraguai, que ligará Foz do Iguaçu (PR) a Presidente Franco. Os recursos de Itaipu somaram R$ 66,3 milhões, o equivalente a 14% do total previsto para as obras da ponte e da Perimetral Leste (R$ 462,9 milhões). A região do Porto Meira, onde a ponte está em construção, se transformou em um gigantesco canteiro de obras.

A Itaipu também investiu no ano passado cerca de R$ 21,5 milhões em infraestrutura aeroportuária, principalmente em obras no Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu. Em 2018, a usina havia aplicado R$ 3 milhões neste setor, sete vezes menos. Entre os projetos em andamento, hoje, estão a ampliação da pista de pousos e decolagens, que vai possibilitar a operação de aeronaves maiores, e a duplicação da via de acesso ao terminal. São obras que vão impulsionar o turismo, vocação natural da região.

A extinção de convênios e patrocínios sem relação com a missão empresarial de Itaipu, diretriz adotada pela atual gestão, permitiu ainda a alocação de mais recursos em projetos de meio ambiente e responsabilidade social, beneficiando toda a área de influência do reservatório. Os gastos no apoio à implantação da Coleta Solidária, por exemplo, aumentaram de R$ 3,2 milhões, em 2018, para R$ 15,8 milhões, no ano passado.

Ainda na área de responsabilidade social, a implantação de moradias populares no Oeste paranaense chama a atenção. O projeto beneficia famílias em situação de vulnerabilidade e risco social. Em 2018, Itaipu investiu R$ 25,5 mil neste segmento; no ano passado, o valor foi ampliado para R$ 5 milhões. O salto é de quase 300 vezes mais de um ano para o outro.

A empresa também fechou parceria com Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA, na sigla em inglês) para promover na região Oeste o projeto Prevenção e Redução da Gravidez Não Intencional na Adolescência. As capacitações de profissionais de saúde, educação e assistência social começaram em junho de 2019 e alcançaram 361 pessoas em cinco módulos. Novas ações estão previstas para 2020. A parceria virou um case de sucesso.

O projeto de canoagem Meninos do Lago, voltado para alunos de 5 a 16 anos de idade, também ganhou impulso em 2019. O número de vagas saltou de 100 para 600, ampliando as oportunidades para jovens em situação de vulnerabilidade social. Muitos permanecem no esporte e participam de competições nacionais e internacionais. A iniciativa é desenvolvida pelo Instituto Meninos do Lago (Imel) com apoio da Itaipu, da Federação Paranaense de Canoagem e da Prefeitura de Foz do Iguaçu.

A empresa também manteve investimentos no programa Sustentabilidade das Comunidades Indígenas, que atende a cerca de 290 famílias (aproximadamente 1.450 pessoas), distribuídas em três aldeias da região (Ocoy, em São Miguel do Iguaçu, e Añetete e Itamarã, em Diamante D’Oeste). As ações envolvem projetos de segurança alimentar e nutricional, agropecuária e infraestrutura e promoção da cultura, todos com recursos de Itaipu.

Entre as várias ações desenvolvidas, a implantação do Parque Linear Código Bezerra, em Cascavel, teve atenção especial. A implantação do parque exigiu recursos de R$ 8,9 milhões. Outro destaque é a revitalização de áreas públicas de lazer do reservatório (como as prainhas) e de áreas públicas de lazer em geral. Em 2018, o investimento total neste setor foi de R$ 796,7 mil; em 2019, passou para R$ 6,5 milhões, oito vezes mais.

Outras áreas

Na área da saúde, a Itaipu investiu R$ 34,4 milhões no Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), em 2019, pouco mais da metade do total de R$ 64,7 milhões que serão investidos na reforma e ampliação da estrutura física da unidade de saúde, a mais importante de Foz do Iguaçu e região. Ao final dos trabalhos, o número de leitos do hospital passará de 202 para 260, com aumento das salas cirúrgicas, construção de um novo laboratório de análises clínicas e expansão dos serviços de quimioterapia e radioterapia, entre outras melhorias e avanços.

Para 2020, a usina anunciou investimentos na construção de um novo hemonúcleo do HMCC (R$ 4,1 milhões), dobrando a capacidade de atendimento do banco de sangue, e ampliação dos serviços do Centro de Medicina Tropical (CMT) da Tríplice Fronteira (mais R$ 4 milhões), incluindo reformas na atual estrutura, novas edificações e aquisição de equipamentos, mobílias e insumos.

“Todos esses investimentos em obras com legado para a população são uma contrapartida da nossa gestão, atendendo às diretrizes do governo do presidente Jair Bolsonaro, que quer fazer deste País um Brasil melhor”, diz o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna. E complementa: “É também uma responsabilidade da empresa com o dinheiro do consumidor, que paga pela energia elétrica”.

 

 

 

A Itaipu

Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, mais de 2,6 bilhões de MWh. Em 2016, a usina brasileira e paraguaia retomou o recorde mundial anual de geração de energia, com a marca de 103.098.366 MWh. Em 2018, a hidrelétrica foi responsável pelo abastecimento de 15% de toda a energia consumida pelo Brasil e de 90% do Paraguai.

Fonte: Assessoria de comunicação Itaipu

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
%d blogueiros gostam disto: