Sunday, January 19, 2020
Isenção e Verdade


Educação ganha mais tecnologia e melhor infraestrutura

Os recursos destinados para a área em 2019 somam R$ 8,4 bilhões. O montante foi aplicado em soluções para facilitar…

Por redacao gazeta , em Educação , no dia30 de dezembro de 2019, 08:00h

Clique Aqui


Os recursos destinados para a área em 2019 somam R$ 8,4 bilhões. O montante foi aplicado em soluções para facilitar a vida de alunos, pais e professores; construções, ampliações e reformas de escolas, além da compra de equipamentos, transporte e alimentação escolar.

Aprimorar os processos pedagógicos, utilizar a tecnologia para facilitar a vida de pais, alunos e professores, garantir um ambiente escolar de qualidade com melhorias da estrutura das escolas e compra de equipamentos. A Secretaria de Estado da Educação e do Esporte planejou e destinou recursos para concretizar todas essas metas. Em 2019, foram investidos R$ 8,4 bilhões na área.

“Nesse ano, investimos muito em infraestrutura escolar, incluindo obras, merenda, transporte, fundo rotativo e mobiliário. Conseguimos realizar muita coisa. Apenas em construções e obras foram 190 milhões, o que permitiu que a secretaria concluísse 200 obras em 2019 e iniciasse 150 obras que vão terminar em 2020”, destacou o secretário estadual da Educação e do Esporte, Renato Feder.

Apenas para garantir o serviço do transporte escolar, o repasse aos 399 municípios paranaenses chegou a R$ 130 milhões para o atendimento de 210 mil estudantes da rede estadual de ensino. Outros R$ 130 milhões custearam a alimentação escolar – em torno de 45% desses recursos destinados a compras de produtos da agricultura familiar.

Para o mobiliário, utensílios, equipamentos de cozinha, refeitórios, eletrodomésticos e equipamentos de informática foram gastos R$ 100 milhões, beneficiando aproximadamente 1,8 mil escolas.

As parcelas do fundo rotativo para todas as escolas estaduais somam R$ 116 milhões. Os recursos auxiliam no desenvolvimento de atividades pedagógicas, compra de materiais e na contratação de serviços.

TECNOLOGIA – Avaliação diagnóstica, matrícula online, chamada de presença, acompanhamento de notas e faltas dos alunos – tudo isso na palma da mão, direto no celular de professores, pais e alunos. A Secretaria de Estado da Educação e do Esporte encerra o ano mais perto do que nunca da comunidade escolar, graças à dobradinha entre o pedagógico e a tecnologia.

Para Feder, a utilização da tecnologia a serviço do processo de ensino e aprendizagem traz inúmeros benefícios, uma vez que aprimora processos e facilita o acesso à informação. Os resultados positivos e a boa adesão aos programas comprovam isso.

A matrícula online é um exemplo. Pela primeira vez, as inscrições para a rede estadual de ensino puderam ser efetivadas também pela internet, via sistema desenvolvido pela Diretoria de Tecnologia e Inovação da secretaria. “Foram em torno de 400 mil matrículas online. Mais de 400 mil famílias que não precisaram ir até a escola, que conseguiram garantir a matrícula de casa. Além disso, podendo indicar até três escolas de sua preferência como opção”, explica o secretário.

ESTRATÉGIAS CERTEIRAS – Inovação pedagógica e tecnológica, a Prova Paraná também conquistou boa adesão. Trata-se de uma avaliação inédita na rede estadual, que tem como objetivo gerar informações para as escolas sobre o que seus alunos estão aprendendo e quais são suas dificuldades. A partir dos resultados tem-se um diagnóstico da aprendizagem. Com isso em mãos é possível definir estratégias pedagógicas direcionadas.

Quase 1 milhão de alunos de todo o Estado participaram da terceira edição da Prova Paraná. Para gerir esse grande volume de informações, a secretaria criou o aplicativo Corrige, que lê o cartão resposta e gera os resultados de cada estudante pelo celular.

“A Prova Paraná foi um dos grandes destaques desse primeiro ano de gestão. Ela ajuda o professor a elaborar melhor suas aulas, já que ele consegue ver tudo o que a turma aprendeu e o que não aprendeu, e assim planejar uma aula mais assertiva. Para 2020, vamos ampliar a avaliação para todas as disciplinas e aprimorar a correção”, explicou Feder.


%d blogueiros gostam disto: