Wednesday, December 11, 2019
Isenção e Verdade


Presas recebem tecido para produção de lençóis e toalhas de banho

Presas da Penitenciária Feminina de Foz do Iguaçu – Unidade de Progressão (PFF-UP) receberam mais de 950 metros de tecidos…

Por redacao gazeta , em Estadual , no dia26 de setembro de 2019, 13:44h

CMIX.GIF

Clique Aqui


Presas da Penitenciária Feminina de Foz do Iguaçu – Unidade de Progressão (PFF-UP) receberam mais de 950 metros de tecidos para a confecção de 500 lençóis e toalhas de banho a serem usadas na própria unidade. Na PFF-UP, há quatro canteiros de trabalho – costura, artesanato, panificação e produção de fraldas, que empregam quase metade das mulheres custodiadas no local.

Do total de tecido recebido, por meio da parceria com o Conselho da Comunidade do município, cerca de 600 metros resultarão na produção de mais de 500 lençóis e o restante em 500 toalhas de banho. As presas do canteiro de artesanato ainda receberam 20 rolos de linha de seda e outros 40 de fios para crochê. “Ações como esta servem para motivar a população carcerária a a buscar novos rumos ao deixar a unidade prisional”, destacou o diretor-geral do Departamento Penitenciário, Francisco Caricati.

O coordenador regional do Departamento Penitenciário (Depen) em Foz do Iguaçu, Marcos Marques, ressalta a importância do aprendizado de uma profissão na ressocialização. “A presa do setor está produzindo seu próprio material, suas roupas. Desta forma, ela se qualifica para uma possível atividade pós prisão”, afirmou Marques.

TRABALHO E ESTUDO – A unidade de progressão do presídio de Foz do Iguaçu tem 134 presas trabalhando em canteiros próprios do Depen-PR, como o de costura, e um canteiro cooperado (em convênio com empresas privadas). Além disso, 135 detentas estudam em salas de aula ou fazem cursos profissionalizantes de camareira, recepcionista e noções de serviço doméstico.

“Quase todas as atividades desenvolvidas com as presas de Foz do Iguaçu são por meio de parcerias com o Conselho da Comunidade. Dessa forma, possibilitamos que ocorra a ressocialização”, explica a diretora da PFF-UP, Cláudia Grignet Fardoski Souto. Para o efetivo uso e confecção dos materiais, uma das presas recebeu a capacitação e atua na unidade como multiplicadora, ensinando as outras sobre as especificidades da linha de produção.

ATENDER DEMANDA – As presas do setor de costura da PFF-UP confeccionam os uniformes usados por elas e são responsáveis por atender toda a demanda carcerária de Foz do Iguaçu. “Quando há ocupação do tempo livre com alguma atividade, como no caso da costura, etendemos que as presas estão tendo a oportunidade de adquirir conhecimento, qualificação e recuperação para que retornem melhores à sociedade”, afirma a presidente do Conselho da Comunidade de Foz do Iguaçu, Juraci Helena Audibert.

A PFF-UP – Inaugurada em outubro de 2018, a unidade seguiu o modelo da Penitenciária Central do Estado – Unidade de Progressão (PCE-UP), localizada na Região Metropolitana de Curitiba e que é destinada ao atendimento de presos homens.

A PFF-UP foi instalada no mesmo local onde funcionava o Centro de Reintegração Feminino, um prédio anexo à Cadeia Pública Laudemir Neves, porém, foram separadas as carceragens femininas e masculinas. Também foi criada uma equipe diretiva própria. Voltado às mulheres que cumprem pena em regime fechado, o objetivo da Unidade de Progressão é ofertar atividades que possam preparar as detentas para voltarem ao convívio social.

Por meio do convênio com o Conselho da Comunidade de Foz do Iguaçu, a Penitenciária já recebeu aparelhos de ar-condicionado, armários e outros materiais para melhorar o ambiente para os envolvidos.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

%d blogueiros gostam disto: