Saturday, May 30, 2020
Isenção e Verdade


Investimentos da Copel reforçam rede elétrica de Curitiba

A rede elétrica de Curitiba foi reforçada e preparada para a demanda das próximas décadas com dois empreendimentos da Copel,…

Por redacao gazeta , em Estadual , no dia17 de setembro de 2019, 15:32h

Clique Aqui


A rede elétrica de Curitiba foi reforçada e preparada para a demanda das próximas décadas com dois empreendimentos da Copel, que somam R$ 174 milhões em investimentos. A subestação Curitiba-Centro e a linha de transmissão de energia subterrânea da Avenida Comendador Franco foram inauguradas nesta terça-feira (17) pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior e o presidente da Copel, Daniel Pimentel Slaviero.

O governador destacou que o planejamento energético da Copel para a capital e Região Metropolitana é fundamental para se somar aos investimentos em infraestrutura e atrair novas empresas para o Estado. “Com esse investimento, Curitiba poderá receber novas indústrias, sem risco de queda de energia. Essa subestação representa a importância que a Copel tem para os paranaenses. Indústria nenhuma se instala onde não tem energia de qualidade”, afirmou Ratinho Junior.

Ele também confirmou a prioridade de investimento da Copel no Estado, ressaltou o crescimento de 7,2% da produção industrial paranaense nos primeiros sete meses de 2019 e a valorização de 151% das ações da companhia na Bolsa de Valores em um ano. “Nós queremos investimentos da Copel para o Paraná, dentro de casa. Por muitos anos os recursos foram aplicados fora do Estado. Enquanto uma granja de frango ainda estiver recebendo energia monofásica e não puder abrir uma nova fábrica em função disso, não teremos feito a lição de casa”, afirmou. “Isso é fundamental para dar prosseguimento ao crescimento industrial e da economia do Paraná”.

80 MIL – A subestação e a linha de transmissão operam em alta-tensão (230 mil volts) e beneficiam diretamente cerca de 80 mil unidades consumidoras da região central da Capital. É a 18º subestação de transmissão de alta-tensão de Curitiba. Além do reforço na rede elétrica, as obras permitiram a retirada das torres da Avenida Comendador Franco. A linha enterrada tem 8 quilômetros de extensão, conecta a nova subestação Curitiba-Centro à subestação Uberaba e é uma das maiores redes subterrâneas em circuito duplo do Brasil.

Os empreendimentos, afirmou o presidente da Copel, Daniel Pimentel Slaviero, concilia a estratégia da companhia de investir no Paraná, com alta tecnologia e repaginação urbanística, importante para a capital. “A tecnologia de cabeamento subterrâneo é a mais moderna do País. Isso faz com que as residências, comércios e indústrias possam continuar crescendo. Nós teremos capacidade de ampliação para atender Curitiba e Região Metropolitana”, afirmou. “A Copel tem uma agenda de eficiência e modernidade para aumentar a capacidade econômica do Estado”.

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca, citou que a subestação fica localizada na antiga sede da primeira usina termoelétrica da cidade, responsável pelo abastecimento elétrico dos primórdios da capital. “É um presente para Curitiba. Garante eletricidade contínua e estável para a cidade, mesmo diante de tempestades”, completou.

MAIS ENERGIA – Curitiba e Região Metropolitana são atendidas majoritariamente por subestações e linhas de transmissão de 69 mil volts. A substituição gradual dessa rede por circuitos que operam em tensões maiores, entre 138 mil volts e 230 mil volts, torna o sistema menos vulnerável a desligamentos e mais adequado ao crescimento das cidades, principalmente aquelas conurbadas.

A Avenida Comendador Franco (antes conhecida como Avenida das Torres) liga Curitiba a São José dos Pinhais. A nova rede de alta-tensão passa por tubulações enterradas no canteiro central que, com a retirada das torres, poderá ser utilizado urbanisticamente.

Para desativar a linha antiga foram retiradas 25 torres, 20 superpostes e 42 quilômetros de cabos condutores no trecho que vai da rua Dr. Dário Lopes dos Santos até a rua Rosa Mehl, nos bairros Jardim Botânico, Jardim das Américas, Guabirotuba e Uberaba. O trabalho durou cerca de dois anos. As torres foram instaladas em 1931 e a avenida chegou em 1970.

A subestação Curitiba-Centro foi erguida em uma área de aproximadamente 1,3 mil metros quadrados ao lado do viaduto do Capanema, no bairro Jardim Botânico. É uma subestação do tipo abrigada e isolada a gás, estrutura adequada para áreas urbanas, que conta com dois transformadores de 150 megavolt-ampères (MVA).

PRESENÇAS – Participaram da inauguração o diretor-presidente da Copel Geração e Transmissão, Moacir Carlos Bertol; o diretor-presidente da Copel Telecomunicações, Wendell Alexandre Paes de Andrade de Oiveira; o diretor-presidente Copel Distribuição, Maximiliano Andres Orfali; e o diretor-presidente da Copel Comercialização, Franklin Kelly Miguelo; o corpo diretores da empresa e vice-prefeito de Curitiba, Eduardo Pimentel.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
%d blogueiros gostam disto: