Friday, February 28, 2020
Isenção e Verdade


Toledo perde um dos seus grandes expoentes: Hermes Antônio Césaro, o Camaleão do Comércio

Nascido no interior de Caçador (SC), Hermes Antônio Césaro teve uma trajetória singular em sua vida. De família humilde, sempre…

Por redacao gazeta , em Geral , no dia30 de agosto de 2019, 13:43h

Clique Aqui


Nascido no interior de Caçador (SC), Hermes Antônio Césaro teve uma trajetória singular em sua vida. De família humilde, sempre teve o interesse em aprender o ofício de sapateiro, e para isso atravessava a ponte do Rio do Peixe com o pai para que enquanto ele resolvesse os negócios na cidade, ficasse olhando os sapateiros trabalharem.

E fez desse interesse sua profissão, tanto é que quando serviu ao Exército em Palmas (PR), era o encarregado de fabricar e fazer a manutenção de botas e selas dos cavalos.

Veio a Toledo por acaso, em 1959, acompanhando a irmã Araci em sua mudança para Nova Concórdia, onde seria professora, à convite do Sr. Santo Campagnolo, e também do seu cunhado Armelindo Nichelle, que era motorista do caminhão do Ivo Witeck. Como a estrada Cascavel/Toledo era um trecho muito difícil de transitar, devido a taquaras, árvores caídas e pontes improvisadas, veio junto para ajudar na viagem.

E daqui não mais saiu!

Santo Campagnolo o convidou para botar em funcionamento a sapataria ociosa em Nova Concórdia e ele aceitou, também condicionado pela irmã, que só ficaria se o irmão aceitasse, pois as dificuldades que encontraram foram muitas, especialmente quanto aos insetos existentes na época.

Começava naquele momento a trajetória vitoriosa de um catarinense em solo toledano.

Depois de certo período, adquiriu terreno na cidade de Toledo e começou a construir a sua sapataria, na então Rua do Aeroporto.

Casou-se com Ortenila Cavalli, com quem teve quatro filhos: Cézar, Sérgio, Aléx e Khátia

Lá na então Avenida J.J. Muraro os negócios prosperaram, sempre tendo apoio dos amigos e dos “anjos” que frequentemente Hermes reverenciava, os vendedores, que traziam até ele as novidades e com isso incremento os negócios.

Como seu estabelecimento ficava no final da rua, resolveu fazer algo que chamaria a atenção de todos na questão de marketing, palavra que nem era conhecida na época.

Em entrevista, contou o fato:

“Pensei em mandar fazer em concreto um leão de botas, simbolizando o rei das selvas calçado com vistosas botas. Depois desisti da ideia do leão e tomei a decisão de fazer com que a minha sapataria fosse representada por um galo de botas. Vale lembrar que era uma época que não havia meios para fazer alguma propaganda, tais como: gráfica, jornal, rádio, tv, pois não havia sequer um pintor de placas.  Tão logo foi possível, encomendei junto ao amigo Conzzoni (que era pedreiro) que fizesse um galo de botas. Quando a “obra” ficou pronta, imediatamente a fixei na frente da sapataria, para indicar que ali funcionava a mais nova sapataria da cidade. A estratégia foi tão boa que logo virou ponto de referência, até porque era a saída para diversos distritos, como também era a única saída para o Norte do Estado do Paraná. O povo referia-se, por exemplo: “Na hora de voltar para casa, eu vou te esperar lá no Galo de Botas”, ou, “Quando você chegar na vila, me espera lá no Galo de Botas”.

Foi um verdadeiro camaleão do comércio, se adaptando às necessidades dos seus clientes. Fabricou botas, sapatos, tamancos, coldres de revólveres, toldos para garagem, sofás cama para caminhões, parquinhos infantis e até calças jeans vendeu em sua profícua carreira comercial.

São apenas algumas das várias histórias protagonizadas pelo Sr. Hermes Antônio Césaro que demonstravam o seu espírito empreendedor e visão de futuro.

Na área comercial, participou ativamente das atividades da ACIT, sendo inclusive um dos seus presidentes, substiuindo Albino Corazza que se candidatou a prefeito municipal.

Fez parte do grupo de estudos de empresários preocupados com o êxodo das pessoas para grandes cidades, procurando estabelecer em nossa cidade indústrias com participação exclusiva de capital toledano. Desse grupo destacaram-se exponentes como Egydio Munaretto, Wilson Carlos Kuhn e outros visionários. Estava surgindo aí o “Milagre de Toledo”, exaltado por Joelmir Beting, um dos principais âncoras da televisão brasileira.

Como desportista, assumiu a presidência do Grêmio Esportivo Toledense, dando ao clube o título de Bi-Supercampeão de Toledo, além da construção da fachada e conclusão da sede.

Em reuniões com desportistas, resolveram pela fusão de três outros clube e criaram o Toledo Futebol Clube, de quem foi presidente e posteriormente seu filho mais velho Cézar repetiu o fato. Presidiu o clube no período do acesso à Primeira Divisão, com amplo sucesso. Importante ressaltar que a área de terra que abriga o clube Toledão foi doado pelo Sr. Hermes e família.

Na parte da administração municipal, ocupou o cargo de Secretário de Indústria, Comércio e Turismo nos dois mandatos do prefeito Albino Corazza Neto, tendo como principais feitos sua luta pela idealização do Complexo Turístico do Rio São Francisco, (talvez um dos seus maiores sonhos que não conseguiu realizar pelo fim do mandato do governo Corazza) incentivo ao turismo rural, apoio a empreendedores, criação da Incubadora Industrial, apoio a vinda da Prati, Donaduzzi e tantas outras conquistas, deixando registrada sua marca também no setor público.

Pela sua dedicação ao comércio e condição de cidadão, recebeu muitas honrarias, dentre elas a do “Guerreiro do Comércio” pela Fecomércio-PR e Título de Cidadão Honorário do Município de Toledo.

Em resumo, Hermes Antônio Césaro foi fundamental para Toledo estar no patamar de hoje com sua atuação e envolvimento nas áreas esportivas, religiosa, criação de clubes, associação comercial, lutas ambientais e administração pública, onde colocou à disposição da comunidade sua experiência adquirida através do tempo. Comandou a Incopesa, uma das indústrias comunitárias que mais sucesso teve, exportando os seus produtos para países da Europa. Dedicou-se de alma e coração para a instalação das demais indústrias comunitárias em Toledo, assim como a “chocadeira” industrial e tantas outras iniciativas no ramo comercial e industrial, inserindo o nome de Toledo no cenário nacional.

Toledo perdeu no dia de hoje um dos seus grandes homens, que avesso a holofotes, construiu uma história que brilhará para sempre na história de Toledo.

Bruno Marcos Radunz –

Frases de Hermes Antônio Césaro

“Sempre falo para meus filhos, que eles sejam pelo menos dez por cento melhores do que eu. Se seguirem meu conselho, sei que estarão bem”.

“A lei da economia foi criada pela natureza, não existe tribunal a que os infratores possam apelar. A lei da economia não reconhece e nem tolera quem tenta receber sem dar”.

“Tempo que passa é verdade que foge”.

“Aproveitei as oportunidades que apareceram em minha vida”

“Se você for na São Jorge e não encontrar lá o que procura, pode esquecer…”

“Passava noites em claro até resolver algum problema que aparecia na minha loja, ou um novo produto inventado. Não escutava barulho, perdia a noção do tempo”.

“Ver a pessoa feliz com o trabalho da gente é a alma do negócio”.

“O freguês decide o que somos”.

%d blogueiros gostam disto: