Sunday, December 8, 2019
Isenção e Verdade


Programa de enfrentamento da violência tem início em São José dos Pinhais

O governador Carlos Massa Ratinho Junior lançou nesta sexta-feira (30), em São José dos Pinhais, o projeto-piloto Em Frente Brasil…

Por redacao gazeta , em Estadual , no dia30 de agosto de 2019, 13:56h

CMIX.GIF

Clique Aqui


O governador Carlos Massa Ratinho Junior lançou nesta sexta-feira (30), em São José dos Pinhais, o projeto-piloto Em Frente Brasil – Programa Nacional de Enfrentamento à Criminalidade Violenta. A cidade recebeu 100 policiais da Força Nacional de Segurança, que passarão a atuar em conjunto com as forças de segurança estaduais (Polícia Militar e Polícia Civil) e de São José dos Pinhais (Guarda Municipal).

O programa foi idealizado pelo Governo Federal para combater crimes de maior gravidade, principalmente homicídios, além de propor um diagnóstico das causas da violência para planejar ações futuras em diversas áreas como educação, saúde, saneamento e integração social. Os policiais vão atuar em São José dos Pinhais por 120 dias em cinco grandes áreas da cidade que integram pelo menos 15 bairros.

O governador ressaltou que o Paraná foi escolhido como sede do Sul porque já atua de forma integrada e colaborativa na segurança pública, além da capacidade de gestão e cooperação com o Governo Federal. “Os índices de violência vêm caindo no Estado. Montamos equipes na Polícia Militar e Civil para fazer esse alinhamento, existe um trabalho de inteligência contínuo que não havia no Paraná até então”, destacou Ratinho Junior. “Mas ainda não estamos confortáveis, queremos avançar mais. A cooperação de todas as forças de segurança resulta numa ação muito incisiva contra a criminalidade”.

Ratinho Junior também citou o estudo do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) que indica que 120 cidades concentram cerca e 50% dos homicídios do País. “Esse projeto-piloto é parte de um trabalho de acupuntura que precisa ser realizado nesses municípios, isso vai diminuir a criminalidade drasticamente no Brasil”, afirmou ele. “Quando o Poder Público não está próximo da população, as pessoas perdem qualidade de vida. Esse programa pretende levar segurança e também novas políticas de educação, saúde e cidadania”, ressaltou.

MAIS PROFISSIONAIS – O governador ainda anunciou a contratação, via concurso público, de 2,7 mil policiais militares e entrega de 400 novas viaturas para a segurança pública até o final do ano.

EM FRENTE BRASIL – A força-tarefa que vai atuar em São José dos Pinhais é integrada por agentes da Força Nacional de Segurança, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Departamento Penitenciário Nacional, Secretaria Nacional de Segurança Pública, Secretaria de Operações Integradas, Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, Departamento Penitenciário Estadual e Guarda Municipal. Ela reúne centenas de policiais, 75 viaturas, 20 motocicletas e dois helicópteros.

A primeira etapa, mais ostensiva, vai até novembro. Enquanto isso as secretarias estaduais e os ministérios do Saúde, Economia, Educação, Cidadania, Desenvolvimento Regional e Mulher, Família e Direitos Humanos estudam locais e fatores socioeconômicos que tenham correlação direta com a incidência criminal para apontar novas soluções para a segurança pública.

Além de São José dos Pinhais, o projeto-piloto será replicado em Ananindeua (PA), Cariacica (ES), Goiânia (GO) e Paulista (PE). O custo total é de R$ 20 milhões.

COOPERAÇÃO – Segundo o tenente Eduardo Antonio Scharwz, porta-voz da Força Nacional de Segurança, os agentes foram orientados pelo Ministério da Justiça e da Segurança Pública a atuar em parceria com as forças estaduais em qualquer situação.

“A Força Nacional está preparada para tudo, é o nosso lema. Serão intervenções em presídios, incursões em áreas de risco, situações de crise, mandatos de busca, mandados de prisão. Vamos apoiar as ações das policiais locais”, afirmou.

MODELO – O coronel Romulo Marinho, secretário de Segurança Pública do Paraná, destacou que o projeto-piloto em São José dos Pinhais servirá de modelo para encontrar novas metodologias na proteção da comunidade. “Aqui no Paraná o programa encontrará solo fértil para servir de modelo para os outros Estados. A cidade vai servir de arena para encontrar os aspectos positivos e negativos. Vamos encontrar soluções para replicar esse modelo integrado em inúmeras cidades daqui para frente”, complementou.

O coronel Péricles de Matos, comandante-geral da Polícia Militar do Paraná, destacou que houve planejamento intenso das ações em Brasília nos últimos meses para identificar as áreas que serão alvo da cobertura. “É a primeira operação conjunta que envolve os três níveis , federal, estadual e municipal. Todos estão conjugados num plano estratégico de aplicação. Entre os agentes da Força Nacional de Segurança estão aqueles que atuam com criminalística e a Polícia Civil. É um ciclo completo, da parte ostensiva e preventiva”, pontuou.

SÃO JOSÉ DOS PINHAIS – A cidade da Região Metropolitana de Curitiba foi escolhida pela localização estratégica (cortada por três rodovias, BR-376, BR-277 e BR-116), potencial econômico, situação fiscal e gestão alinhada com o projeto. Também foi levado em conta os índices de homicídios de 2015, 2016 e 2017.

O prefeito Antônio Fenelon disse que o projeto contempla uma iniciativa aguardada pela população. “Esse projeto vem a somar para a segurança de São José dos Pinhais e da região metropolitana de Curitiba como um todo. A preocupação com segurança pública vem ao encontro com os apelos da população”, afirmou.

As operações também serão realizadas nos limites da cidade, nas áreas rurais, além daquelas que concentram maior incidência de crimes, explicou Fabiano da Rosa, secretário municipal de Segurança. “Não é só mais polícia, é uma preparação de terreno para uma segunda fase de investimentos no diagnóstico das causas da violência. Por exemplo, o problema da drogadição, a perda da vida por dívidas pequenas, a disputa por territórios. Tudo faz parte desse pacote”, complementou.

PRESENÇAS – Estiveram presentes na cerimônia o deputado federal Luizão; o diretor-geral do Polícia Civil, Silvio Rochemback; o diretor do Departamento Penitenciário do Paraná, Francisco Caricati; o chefe do Departamento de Justiça da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho, Felipe Hayashi; prefeitos, vereadores e autoridades locais.

Box 1
Paraná tem redução de criminalidade no primeiro semestre

Balanço da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária aponta redução de 20% no índice de homicídios dolosos em todo o Paraná no primeiro semestre, se comparado com o mesmo período de 2018. Em 52% das cidades (211 dos 399 municípios paranaenses) não houve registro deste tipo de crime.

O balanço também indica uma redução de furtos e roubos em todo o Estado durante o primeiro semestre de 2019, em comparação com o mesmo período do ano anterior. Foram 5,6 mil roubos a menos registrados na comparação dos semestres, média de 31 roubos a menos por dia. Em relação a furtos, houve redução de 10,2 mil ocorrências, ou seja, média de 56 casos a menos por dia. Além disso, o Paraná também reduziu o número de furtos a veículos (11%), furtos a residências (10,5%), furto em ambientes públicos (9,2%) e os furtos a comércios (3,4%).

São José dos Pinhais, escolhida para o projeto-piloto do Governo Federal, segue a tendência do Estado. De janeiro a julho de 2019, houve redução no número de furtos (25%), roubos (18%) e homicídios (11,6%).

MAIS PRISÕES – O balanço da Secretaria da Segurança também mostra que a Polícia Civil promoveu 183% mais operações de repressão no 1º semestre deste ano na comparação com 2018, o que resultou num salto de 216% no número de prisões.

Operações de repressão qualificada são as que envolvem técnicas especializadas e intenso trabalho de investigação. O número de prisões subiu de 325 no ano passado para 1.028 neste ano.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

%d blogueiros gostam disto: