Monday, July 6, 2020
Isenção e Verdade


Expo Toledo saí ou não?

Publiquei aqui na Gazeta de Toledo no dia 05 de julho passado, artigo questionando a inércia de nossas entidades representativas…

Por Eliseu Langner de Lima MTPR 11737 , em Gente x Poder , no dia20 de agosto de 2019, 17:40h

Publiquei aqui na Gazeta de Toledo no dia 05 de julho passado, artigo questionando a inércia de nossas entidades representativas a começar pela Prefeitura, ACIT e SRT sobre a não realização dos eventos que são responsáveis em dar vitrine a nossa produção agro, comercial e industrial como, por exemplo: a EXPOTOLEDO, FEIRA SHOPPING, FEMAI entre outras.

Expo Toledo saí ou não? I
No mesmo dia, recebi uma ligação se identificando como sendo o presidente da SRT (Daniel…) e, pedi que da mesma forma oficializada da não realização da expo, nos confirmassem e até hoje, nada veio. Em conversa com o secretário Jozimar Polasso, me foi dito que sim, a Expo Toledo irá acontecer e com muitas mudanças a começar pelo mês, que excepcionalmente nesse ano será em dezembro.

Ciscopar – Silêncio ensurdecedor

Como se nada tivesse acontecido, apenas uma nota dizendo “amém” à lei responsabilidade sobre o cancelamento do contrato de locação da sala pelo Ciscopar em que o MP interviu. Sabemos que a sala do CAF já foi devolvida, mas, teve três dispensas para contratar, ar condicionado, internet, alarme e câmeras. Para onde vai à conta? Veja a nota https://www.ciscopar.com.br/2016/portal/view.php?p=not&id=219

Regulamentação da “fumaça”

Foi aprovado o projeto de Lei nº 68 que determina locais certos para quem quer fumar “narguilé” em Toledo. Da mesma forma, quem quiser comercializar tem que estar a 300 metros de qualquer entidade publica educacional e social.

Regulamentação da “fumaça” I

Lembro-me que, o Legislativo de Toledo foi visitado há alguns anos onde registrei a visita do então comandante do 19º BPMT Major Leonel Bezerra que foi solicitar que se criasse essa regulamentação do uso dos narguilé em locais públicos. A época foi entregue um relatório dos malefícios dos produtos.

Não saia na rua com fuzil, troca por uma bíblia, se sair “vamos te matar”.

Esse foi o recado dado aos bandidos pelo governador Wilson Witzel do Rio de Janeiro em entrevista a uma repórter há poucos dias. Quando ele chegou ao local do sequestro por volta da 9h40 dessa terça feira, após descer do helicóptero, comemorou a ação da PM do Rio dando socos no ar, como se comemorasse um gol depois que um atirador (sniper) matou o sequestrador.
Veja matéria completa nesse link: https://www.tribunapr.com.br/noticias/brasil/tiro-de-sniper-acabou-com-sequestro-de-onibus-lotado-no-rio-de-janeiro/

Lei do Abuso de Autoridade. Boa ou Ruim? Necessária ou Desnecessária?

Ao ler o artigo do Advogado Toledano Felipe Schneider, sobre os temas acima e me remete a inúmeras interpretações e confrontações com o texto publicado pelo Dr. Sandres Sponholz. Essas informações abrem mais discussões, mas, também, ajuda a clarear duvidas de tão importante decisão que envolve nosso Poder Judiciário em todo seu contexto. Leia o artigo completo nesse link:
https://gazetadetoledo.com.br/2019/08/20/nova-lei-do-abuso-de-autoridade-boa-ou-ruim-necessaria-ou-desnecessaria/

Os desmandos do “comando”
Secretário de Segurança e Trânsito de Toledo realizou a contratação de um curso para a operação e programação de semáforos na cidade de Curitiba, no valor de R$ 6.646,98 para 5 pessoas, onde o mesmo envio para fazer o curso 3 (três) Guardas Municipais, 1 (um) Assistente em Administração e 1 (um) eletricista, onde os 5 para se deslocar até Curitiba teve um gasto de R$ 4.690,00, totalizando um valor de R$ 11.336,98.

Os desmandos do “comando” I
Sei que em Toledo só existe um único profissional concursado e habilitado para exercer a atividade prevista de operação e programação de semáforos, que seria o engenheiro de trânsito, portanto o secretário não oportunizou ao mesmo a chance de participar do curso, ficando evidente a perseguição que o secretário realiza contra o engenheiro desde o início de sua gestão.

Os desmandos do “comando” II
Estes funcionários que o secretário escolheu a dedo para enviar para fazer o curso, se caso forem exercer atividade prevista no curso, estarão em desvio de função pública, pois as atribuições de concurso dos mesmos não preveem a operação e programação de semáforo. Sem falar o gasto excessivo para cinco pessoas, sendo que poderia ser para somente uma única pessoa, que é a que possui a devida atribuição.

Foto destaque: Agência Tângelo

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
%d blogueiros gostam disto: