Clique Aqui

Friday, August 23, 2019
Isenção e Verdade


Jovem com problemas mentais preso por suposto estupro, foi morto dentro da prisão.

O Jovem Toledano Andre Luiz Roletto, que foi preso por “suspeita” de estupro não comprovado pelos exames e a própria…

Por Eliseu Langner de Lima MTPR 11737 , em Gente x Poder , no dia1 de julho de 2019, 17:36h


O Jovem Toledano Andre Luiz Roletto, que foi preso por “suspeita” de estupro não comprovado pelos exames e a própria família da vitima ter o inocentado teve sua vida ceifada em prisão de nossa capital. Para piorar, ele com problemas mentais foi transferido a Curitiba sem que a família soubesse para fazer exames psiquiátricos exigidos pelo estado que não aceito os exames da família, foi assassinado segundo depoimento de sua irmã, Andreia e de Sidinei Silva cunhado. Assistam o desabafo dos familiares nesse link. https://www.facebook.com/GazetaToledo/videos/383105238993631/

Cadeia pública de Toledo

Nessa terça feira, dia 02 haveráaudiência de conciliação para execução da decisão que busca resolver problemas na cadeia pública de ToledoO Juízo da Vara da Fazenda Pública de Toledo marcou audiência de conciliação no Tribunal do Júri local, para o dia 2 de julho, às 14 horas, para tratar do impasse envolvendo deficiências crônicas na cadeia pública da cidade.

Cadeia pública de Toledo I

O Estado do Paraná já foi condenado em processo ajuizado pela 1ª Promotoria de Justiça da comarca, mas ainda não tomou providências para resolver o problema.Em abril de 2014, o Ministério Público do Paraná ajuizou ação civil pública requerendo interdição, reforma e adequação da cadeia. Com a sentença final, após recurso, o Estado do Paraná foi condenado ao integral cumprimento das obrigações requeridas na ação, em abril de 2018 (trânsito em julgado).

Cadeia pública de Toledo II

A decisão judicial determina ao Estado do Paraná as seguintes obrigações: promover a remoção de todos os detentos da cadeia pública de Toledo para outros estabelecimentos prisionais; abster-se de colocar novos presos no estabelecimento prisional até que sejam atendidos os requisitos previstos na Lei de Execução Penal e demais normas cabíveis; promover os reparos necessários no local, atendendo aos parâmetros de higiene, aeração, saúde e segurança, ou, não sendo possível, construir novo estabelecimento adequado.

Cadeia pública de Toledo III

Entretanto, mesmo após sentença condenatória definitiva, o Estado do Paraná ainda reluta em cumprir as ordens judiciais. Em vista disso, o Judiciário decidiu promover a audiência de conciliação, para evitar a aplicação de sanções ou medidas coercitivas penosas em desfavor do Estado e de seus representantes legais e buscando viabilizar que as partes estabeleçam a forma de dar cumprimento às obrigações definidas.

Cadeia pública de Toledo IV

A audiência contará com a presença de diversas autoridades locais e regionais, como representantes do MPPR, da Secretaria de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária, do Departamento Penitenciário (Depen), do Conselho da Comunidade e da Ordem dos Advogados do Brasil, além dos juízes criminais da comarca e do delegado-chefe da 20ª Subdivisão Policial de Toledo.